Alunas de Atibaia participam de concurso internacional de aplicativos

Incentivadas por professoras alunas do 5º ano de duas escolas municipais de Atibaia, superaram uma série de desafios para criar aplicativos inovadores. Um deles tem como objetivo ajudar as pessoas a solicitar doações, fazer trocas e empréstimos de materiais escolares, incluindo celular e tablets. O outro  visa ajudar crianças que sofrem de depressão e ansiedade por meio de um canal em que podem expressar seus sentimentos.

Os aplicativos foram criados por cinco estudantes da Escola Municipal Profª. Maria Helena Faria Ferraz e duas do Centro Integrado de Educação Municipal (CIEM).

Elas participarão da da Divisão Júnior do Technovation Girls 2021, que conta com alunas de 10 a 14 anos.

A ideia do concurso é incentivar jovens garotas a aprender e aplicar habilidades necessárias para resolver problemas diversos por meio da tecnologia. O Technovation Girls também possui a Divisão Sênior, para as jovens de 15 a 18 anos. Um total de 99 equipes brasileiras fez inscrição para o concurso, sendo 23 da seção júnior e 76 sênior.

A PREPARAÇÃO

Mesmo durante a pandemia, sem poder ter encontros presenciais, as alunas e professoras tiveram reuniões virtuais periódicas para desenvolver os aplicativos.

Inicialmente, as meninas e a professora que orientou os projetos, Vânia Emiko Ito de Carvalho, da EM Maria Helena Faria Ferraz, tiveram oficinas e cursos online com estudantes do Instituto Federal de São Paulo, polo de Bragança Paulista, tendo como mentoras as professoras do IF Elisandra Aparecida Alves da Silva e Talita de Paula Cypriano de Souza.

A ideia era que elas pudessem compreender como é o app inventor e como utilizar. Em seguida, elas escolheram seus temas e desenvolveram um aplicativo, sob coordenação das professoras.

OS APLICATIVOS

A equipe do CIEM, chamada Rainbow Girls, formada por Catarina da Rocha Ferreira e Maria Helena Tessaroto Santoro, criou aplicativo para ajudar pessoas a solicitar doações, trocas e empréstimos de materiais escolares, incluindo celular e tablets.

Já a equipe “Smart Girls”, da EM Maria Helena Ferraz, é formada por Ana Flávia Fernandez Rosa, Lara Souza Destro dos Stos, Mariana Hernandes e Silva, Mayara Badari de Almeida e Suzana Rocha Silva.
Elas desenvolveram um aplicativo para ajudar crianças que sofrem de depressão e ansiedade por meio de um canal em que podem expressar seus sentimentos.

Até junho, todos os projetos serão analisados pela comissão do Technovation Girls.

Em nota, a Prefeitura de Atibaia informou que desde já está torcendo para que as alunas tenham sucesso, mas sabendo que a inscrição já representa uma vitória, por todo trabalho realizado.

No ano passado, uma equipe também da escola Maria Helena Faria Ferraz chegou à semifinal. O Technovation Girls é um programa do Technovation, organização americana sem fins lucrativos, e a ONG Instituto Paramitas representa o programa no Brasil.

Confira mais sobre os projetos:

ttps://youtu.be/ZjtH8uZiRho

https://youtu.be/ixhO0VSeEJM

INFORME-SE

A melhor arma contra a desinformação é o jornalismo sério e profissional. Informe-se diariamente, pelo Jornal Em Pauta.

Para ficar sempre por dentro das últimas informações sobre o coronavírus em Bragança Paulista, Atibaia e região, aliás, é fácil. Acesse o link: https://jornalempauta.com.br/tag/coronavirus/

Quer receber notícias de Bragança Paulista, bem como região no celular? É só clicar aqui:
WhatsApp do Em Pauta

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *