Caso Renan: Bragantino e Palmeiras rompem contrato por justa causa

O caso envolvendo o jogador de futebol Renan Victor da Silva teve mais um capítulo nos últimos dias. O Red Bull Bragantino, clube o qual ele estava emprestado até dezembro de 2022, e o Palmeiras, que tinha contrato até 2025, optaram pela rescisão por justa causa. Renan, por sua vez, se negou a assinar os distratos.

Há cerca de 15 dias, o jogador de 20 anos matou em uma colisão de trânsito um homem de 38 anos, na rodovia Alkindar Monteiro Junqueira, a Bragança/Itatiba. Ele está respondendo em liberdade por homicídio culposo, com os agravantes de dirigir sob influência de álcool e não ser habilitado para dirigir.



Como o atleta se recusou a assinar a documentação, sua rescisão com o Red Bull Bragantino deve demorar um pouco mais para ser publicada no BID (Boletim Informativo Diário) da CBF (Confederação Brasileira de Futebol). Todavia, já não há mais vínculo empregatício entre ele e o clube de Bragança Paulista.

Já o Palmeiras, alegou que rompeu o vínculo por justa causa por causa do comportamento inaceitável do atleta que acabou devastando uma família e tirando a vida de um inocente.

Renan nega descumprimento de contrato por sua parte. Por meio de uma nota à imprensa, sua assessoria disse: “o atleta está concentrado em sua defesa e na tentativa de retomar a sua carreira, e refuta qualquer descumprimento de contrato, tanto em relação ao Red Bull, como em relação ao Palmeiras”.

O jogador de futebol está obrigado a comparecer em todos os atos do processo; manter endereço atualizado; proibido de frequentar bares, prostíbulos e casas de show e teve que entregar o seu passaporte à Polícia Federal.

HOMENAGEM À ELIEZER

Em seu primeiro jogo em Bragança Paulista, após a colisão de trânsito registrada no último dia 22, antes do início da partida foi respeitado um minuto de silêncio e o clube se solidarizou com a família pelo sistema de som do estádio.

Além disso, as torcidas organizadas do Bragantino exibiram uma faixa escrito “Eliezer Eterno”, homenageando o gerente de produção Eliezer Jorge Pena, de 38 anos, que deixou esposa e duas filhas.

Parentes da vítima também estiveram nas cativas do estádio com uma camiseta com a foto de Eliezer e a frase “Não foi acidente”.

📲Entre no grupo de WhatsApp e receba as últimas e principais notícias
📲 Siga o Jornal Em Pauta no Instagram e no Twitter
📲 Entre no grupo do Telegram e receba as últimas e principais notícias




Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.