Dona de casa reclama de atendimento no Bom Jesus

No último final de semana, uma dona de casa, moradora do bairro Jardim da Fraternidade,  precisou de atendimento e relatou não ter conseguido ao menos ser atendida por um médico, na UPA Bom Jesus, localizada na Hípica Jaguari, em Bragança Paulista,. A Prefeitura apresenta versão oposta.

Conforme relatado ao Em Pauta por Beatriz Susiane Francisco, na madrugada de sábado, 19, para domingo, 20, ela sentiu fortes dores abdominais e nas costas, que causavam ainda falta de ar e dificuldades para andar. Por isto, procurou o Bom Jesus por volta da 1h da madrugada.

Beatriz estava acompanhada de sua mãe, que se encarregou de fazer sua ficha de atendimento. Ainda na recepção, elas perguntaram se o atendimento demoraria, mas foram ignoradas pela recepcionista de plantão e também tiveram dificuldade para entregar a ficha na triagem, pois não havia ninguém no espaço.

Foi então que um senhor que já tinha sido atendido se prontificou a ir procurar ajuda e a paciente finalmente foi atendida na triagem e posteriormente encaminhada a sala de medicamento, conforme contam.

Ainda segundo Beatriz, ela tomou um soro com medicamentos diversos e terminou. Na sequência, tomou mais uma bolsa de soro fisiológico com remédios e foi quando ela perguntou sobre o atendimento do médico de plantão.

“Quando eu já estava no segundo soro, perguntei para uma enfermeira se o médico não ia me atender, não ia pedir os exames e ela disse que não, que ele já tinha passado os medicamentos”, conta.

“Em nenhum momento o médico apareceu para fazer a consulta e muito menos para fazer um exame”, afirma a paciente.

Já no terceiro soro, a dona de casa conta que foi orientada por uma enfermeira que estaria liberada, se estivesse melhor e perguntou a ela: “O que o médico de orientou?”. E a paciente respondeu: “Ele não me orientou a nada, pois nem a cara do médico eu vi”. E desta forma, acabou liberada.

ESTE É O PROCEDIMENTO NO BOM JESUS ?

Incomodada com o atendimento recebido, a dona de casa conversou com a equipe do Em Pauta, para saber se é correto este procedimento de não ter o contato com o médico.

“Atendimento do médico mesmo eu não tive. Ele não me examinou, não pediu um exame”, concluiu.

OUTRO LADO

O Jornal Em Pauta procurou a Secretaria Municipal de Comunicação da Prefeitura de Bragança Paulista, que por meio de nota respondeu que “todas as pessoas que necessitam de atendimento na UPA Bom Jesus passam por triagem e posteriormente com o profissional médico”. E acrescentou que “Nenhum profissional médico libera o paciente sem dar alta”.

Especificamente sobre o caso de Beatriz, a Prefeitura disse que “a paciente foi atendida, examinada e medicada em 15 minutos. Não retornando para a reavaliação. Reportou a equipe de enfermagem que estava bem e se retirou da unidade”. Versão esta, oposta a versão apresentada pela paciente.

De acordo com a Secretaria de Saúde, naquela madrugada havia dois médicos de plantão na UPA Bom Jesus.

MED LIFE NÃO RESPONDE

A Organização Social Med Life, responsável pela gestão do Bom Jesus também foi contatada pela reportagem, mas não respondeu aos questionamentos.

INFORME-SE

A melhor arma contra a desinformação é o jornalismo independente, sério e profissional. Informe-se diariamente, pelo Jornal Em Pauta.

No Em Pauta, diariamente você encontra notícias atualizadas sobre o avanço da COVID-19 em Bragança Paulista, Atibaia e região,

Quer receber notícias atualizadas de Bragança Paulista, bem como região no celular? Entre no grupo de
WhatsApp do Em Pauta

One thought on “Dona de casa reclama de atendimento no Bom Jesus

  • 23/06/2021 em 18:58
    Permalink

    Então a enfermeira se passou por médico? Exerceu a medicina ilegalmente? Isso e crime.

    Resposta

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *