Ipem promove a partir de hoje plantão de taxímetro em Bragança Paulista

Os taxistas de Bragança Paulista que precisam validar o taxímetro após mudança de veículo, troca ou reparo poderão participar do plantão do Ipem – Instituto de Pesos e Medidas que será realizado a partir de hoje (7) ate quarta-feira (9).

O objetivo da verificação periódica dos taxímetros é certificar se o preço registrado pelo equipamento corresponde, com base na distância e no tempo gasto, ao trajeto percorrido pelo veículo. A verificação abrange também a análise das condições gerais dos veículos, como a rolagem e rodagem dos pneus e do taxímetro (tarifa, lacres, entre outros).

COMO AGENDAR A VISTORIA?




O plantão acontece das 9h30 às 15h na avenida Francisco Samuel Luchesi Filho, altura do nº 500, bairro da Penha.

Vale lembrar, no entanto, que os serviços precisam ser agendados no site do Ipem-SP. Isso vale, ​tanto para “Verificação” como para “Outros Serviços”. Por exemplo, troca de titularidade, furto, roubo, baixa de taxímetro e atraso de verificação. O taxista está sujeito à penalidade em caso de atraso ou não comparecimento à verificação anual de taxímetro.

Segundo o IPEM, o retorno da atividade segue todas as medidas sanitárias de segurança contra a COVID-19.

Além de agendar o horário de atendimento é necessário que o taxista emita a GRU (Guia de Recolhimento da União) para o pagamento da taxa de verificação. Sem a quitação da taxa e o agendamento online, a verificação não será realizada.

QUAIS DOCUMENTOS SÃO NECESSÁRIOS?

No dia da verificação, o taxista deve apresentar os seguintes documentos:

  • Alvará de estacionamento fornecido pela Prefeitura dentro do prazo de validade;
  • Certificado de registro e licenciamento de veículo (categoria aluguel);
  • Certificado da última verificação do Ipem-SP, referente ao exercício de 2019;
  • GRU quitada;
FIQUE DE OLHO

Os taxistas autuados por trafegar com o taxímetro irregular têm dez dias para apresentar defesa ao órgão.

Para identificar se o taxímetro foi verificado pelo Ipem-SP, o consumidor deve observar a existência do lacre amarelo, que impede o acesso à regulagem do aparelho, e do selo do Inmetro. Caso o lacre esteja rompido, o consumidor não deve aceitar a corrida, pois o aparelho pode apresentar medição incorreta.

O valor da bandeira é estabelecido pela Prefeitura. Vale, no entanto, ficar atento ao horário em que as bandeiras ‘um’ e ‘dois’ podem ser utilizadas, para não pagar mais caro pela corrida.

📲 Siga o Jornal Em Pauta no Instagram e no Twitter
📲Entre no grupo de WhatsApp e receba as últimas e principais notícias
📲 Entre no grupo do Telegram e receba as últimas e principais notícias




Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.