Hospitais: Bragança Paulista tem mais de 170 profissionais afastados por COVID

Com o aumento significativo dos casos de COVID-19 neste mês de janeiro, devido a variante Ômicron, que é muito mais transmissível, o número de pessoas em isolamento domiciliar aumentou também consideravelmente.

Ontem (17) o Em Pauta noticiou que de acordo com balanço da Prefeitura, eram mais de 1 mil pessoas nesta condição, em tese, em Bragança Paulista.

Com isto, indústrias, comércios, instituições bancárias estão enfrentando um problema de gestão de pessoal, devido aos diversos funcionários infectados afastados.

E o cenário não é diferente nos locais, que recebem diariamente estas pessoas infectadas, sejam com sintomas leves ou em busca de até mesmo uma internação hospitalar. O Em Pauta realizou um levantamento nos últimos dias e constatou que mais de 170 profissionais de hospitais de Bragança Paulista estão afastados de suas funções por causa da COVID-19. Isto, em unidades que realizam atendimento de pacientes com síndromes gripais. Não faz parte do cálculo profissionais da Rede de Atenção Básica da secretaria de Saúde, por exemplo.

As duas principais portas de entrada de casos suspeitos de COVID-19 da sob gestão da Prefeitura, o Pronto Atendimento Bom Jesus e a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Vila Davi tem 13 e 12 profissionais afastados, respectivamente.

Já no maior hospital da cidade, que realiza o atendimento de porta aberta às síndromes gripais, a Santa Casa de Misericórdia, são 95 profissionais ao todo afastados. Conforme informado pela instituição que atende tanto o SUS, quanto convênios e particulares, deste número 34 estão com resultado positivo para COVID-19, 45 com suspeita aguardando resultado de exames e 16 afastados pois tiveram contato com pessoas positivadas.

Já no HUSF, hospital referência para média e alta complexidade na região, são 56 trabalhadores afastados.

Não necessariamente todos afastados atuam no atendimento ao público, mas são trabalhadores destes locais e, portanto, o afastamento influencia no funcionamento rotineiro das unidades de saúde.

O levantamento do Em Pauta foi realizado entre sexta-feira (14) a segunda-feira (17), portanto, pode haver variações de números, conforme profissionais são liberados da quarentena e outros eventualmente possam ser também afastados.

PINHALZINHO

Em Pinhalzinho, a Secretaria Municipal de Saúde informou ontem (17), que está defasada de 25 profissionais e por isto solicita a compreensão da população que busca o atendimento médico na cidade.

De acordo com a Prefeitura de Pinhalzinho, o processo para contratação de mais médicos, enfermeiros, motoristas está em andamento, mas demanda um certo tempo até que se efetive.

SOCORRO

Situação semelhante vive o município de Socorro. O número de profissionais afastados não foi divulgado.

“Os profissionais de saúde, que estão há quase dois anos na linha de frente no combate à doença, além de exaustos, também estão adoecendo. Quando isso acontece, o profissional é afastado, para sua recuperação… A secretaria de Saúde está enfrentando o desafio de combater essas doenças e manter o quadro funcional equilibrado, para poder continuar atendendo a população, neste momento de grande necessidade”, diz o comunicado publicado no último dia 13.

“Os responsáveis pela saúde pública municipal pedem compreensão à população pois, devido a essa necessidade de afastamento temporário de alguns colaboradores, os atendimentos podem demorar um pouco mais que o esperado”, conclui.

INFORME-SE

A melhor arma contra a desinformação é o jornalismo independente, sério e profissional. Informe-se, portanto, diariamente, pelo Jornal Bragança Em Pauta.

No Em Pauta, você encontra notícias atualizadas sobre a COVID-19 em Bragança Paulista, Atibaia e região.

Para receber as principais notícias do dia de Bragança Paulista e da região participe dos grupos de WhatsApp do Em Pauta ou acesse nosso grupo de notícias no Telegram.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.