Edmir Chedid anuncia que assume presidência do DEM em Campinas

Para deputado,  ciclo do PSDB no Governo do Estado está no fim e política precisa de renovação

Na tarde desta quinta-feira, dia 17, o deputado estadual Edmir Chedid concedeu uma entrevista coletiva à imprensa, na Morada das Pedras, após anúncio da filiação partidária do vereador José Gabriel ao Democratas.  Leia também matéria: Gabriel e Noy Camilo se juntam ao grupo Chedid.

Durante a entrevista, Edmir Chedid, fez um balanço da cenário politico local e nacional, fez críticas ao Partido dos Trabalhadores e  e também anunciou que mudou seu domicilio eleitoral para Campinas, já que a partir da próxima semana, deve assumir a presidência do DEM Campinas.

“Eu acredito que o prefeito Fernão Dias será candidato a reeleição, se a lei o permitir, se a Justiça o permitir. Vai vir com uma força externa como veio nas eleições passadas. Eu não considero que o PT é um partido morto, até porque eles precisam recuperar tudo aquilo que eles perderam. Estão perdendo a presidência da república, eles estão perdendo o poder que eles conquistaram nos últimos dez anos. A militância vai voltar forte. O PT tem líderes novos chegando ai. O PT pode até mudar de nome, ter uma reformulação e vir para campanha. Eles não vão deixar uma Prefeitura como Bragança Paulista que sustenta o PT regional, de uma hora para outra assim não. Quem conhece o PT sabe o que estou dizendo. Não tem a mesma liberdade para sair quem entra no PT, como quem entra em qualquer outro partido. Lá existem regras e compromissos que tem que ser cumpridos e tem pessoas que já pagaram com a vida”.

Questionado pelo jornalista da Gazeta Bragantina, Paulo Alberti Filho, que também é pré-candidato a vereador pelo Democratas, se ele considera que o PT é uma facção criminosa o deputado respondeu:

“Dentro do PT tem uma facção criminosa sim, que é ligada a empresários. Aqueles que são do PT dão uma participação muito grande da administração para aqueles que contribuem. Isto foi assim até agora. Não sei se vai continuar, mas esta ai a Justiça está sendo mostrada.”

Disse ainda que espera que o PT não lance uma campanha de fachada.

“Em 2012, membros do PSDB, que estavam na gestão, pararam de fazer campanha para o candidato deles. E quando você está na máquina, você tem uma força grande de manobra do processo eleitoral. Você quer fazer uma reunião grande em dez minutos, você movimenta. O PSDB de Bragança, alguns membros do PSDB, nos últimos 15 dias de campanha em 2012 deixaram de fazer campanha para seu candidato e apoiaram o PT. Eu espero que isto não aconteça com o PT de hoje. Que o PTB e os outros partidos que compõe a base deles tenham uma candidatura e tenham o apoio da máquina enquanto o PT tem uma candidatura fajuta. Eu espero que não aconteça. Mas ouvi muito isto esta semana”.

Edmir Chedid falou sobre saúde, criticou a administração de Fernão Dias e disse quais são os desafios para o novo prefeito a partir de 2017.

 “A saúde hoje é calamidade pública no país e em Bragança Paulista quase que inexiste. Bragança chegou no limite. Tem que ter união. Nós queremos fazer uma grande aliança, uma união de pessoas, mesmo que sejam de pessoas que tenham se desentendido no passado. Agora é preciso entender que Bragança é muito maior que tudo isto. Bragança passa por uma crise administra muito forte, falta muita competência na atual gestão e ai não é uma critica simplesmente ao senhor prefeito mas também a quem ele escolheu para gerir. Eu acho que por esta incompetência não conseguiram enxergar a crise econômica que viria por causa da falta de repasse dos governos federal e estadual. Não conseguiram  enxergar a crise política que estavam criando, se fechando só entre eles e não conversando com a oposição. Seja quem for o próximo prefeito ele tem que conversar com a imprensa, independente se criticam ou não. Tem que ouvir e ouvir muito a Câmara Municipal. Tem que ouvir claro os companheiros, mas tem que ouvir também os adversários, para transformar Bragança. O novo prefeito tem que ter este perfil e capacidade para entender este processo de transformação que o país esta passando e Bragança vai passar “.

Edmir Chedid ressaltou ainda que o próximo prefeito precisará restabelecer aproximação com o servidor público.

“A Prefeitura que não conseguir repassar nem o índice inflacionário para o servidor público, me desculpa mas a gestão já acabou. Já está acabada”.

Ele falou também durante a entrevista sobre a importância dos jovens na política.

“A gente precisa motivas os jovens para que ele participe da política. E participar partidariamente, sendo candidato. Se ele acha que não está bom, não deve simplesmente cruzar os braços e ficar olhando as coisas acontecerem. O jovem não pode simplesmente falar que não vai votar, ou anular seu voto pois simplesmente ele está contribuindo com os piores. Temos que levar esta mensagem para os jovens. Se ele está infeliz e se os que estão ai não preenchem as qualidades que eles desejam, e as características que eles desejam, seja candidato, vem para o partido, monta um partido, muda a história. Tem tempo ainda.”

EdmirO deputado ressaltou que a política tem que ser renovada constantemente e questionado pela reportagem do Bragança em Pauta, sobre uma possível candidatura do seu jovem filho, Victor Hugo Chedid,  disse que acredita que o mesmo deve apenas ajudar na campanha em Bragança Paulista.

“A gente passa por um momento assim: hoje ele administra todas as minhas empresas, graças a Deus. Começou com 15, hoje tem 22, fez Administração e está indo muito melhor do que eu, não tenho dúvida disto. Se ele desejar ser político ele vai ser político e eu deixarei de ser político para apoiá-lo. Eu tenho uma filha que é advogada e deseja ser promotora. É o sonho dela. Para as empresas ela não vai, nem sócia pode ser. Então se ele quiser ser ele vai ser. Mas como meu sustento vem das empresas, se ele quiser eu deixo de ser e eu o apoio e vamos ajudá-lo no que for necessário. “

Disse, entretanto, que o garoto tem domicilio eleitoral em Campinas e não em Bragança.

“Ele tem sido muito incentivado a ser candidato a vereador. O título dele é de Campinas. Não transferimos para Bragança. Eu senti em determinado momento que haveria de muitos pré-candidatos a vereador que eles entendiam que a candidatura dele poderia atrapalhá-los. Então falei para ele: quer ser candidato? Não vai pegar o caminho trilhado e feito. Vai fazer o seu caminho, em Campinas, que tem 1 milhão e 200 mil eleitores. Mas eu desejo muito que ele venha mesmo nos apoiar aqui em Bragança, apoiar o nosso grupo, com a experiência que ele tem motivar os jovens e quem sabe daqui dois anos ele saia candidato.”

Também questionado pela reportagem do Bragança Em Pauta, Edmir Chedid confirmou que também transferiu seu domicilio eleitoral para Campinas.

“Eu devo assumir o Democratas de Campinas na próxima semana. O Democratas de Campinas não vai ser levado na conversa como foi na eleição passada pelo PSB. Talvez o Democratas de lá possa ter um candidato a prefeito.”

Garantiu, entretanto, que uma possível candidatura sua ao cargo de prefeito de Campinas está fora de cogitação.

“Já está fora de cogitação. Eu não serei candidato a prefeito.”

Jesus Chedid, que participava da entrevista entretanto, demonstrou que gostaria de ver o filho candidato em Campinas. “Ainda pode entrar em cogitação”, disse.

O deputado, falou também que o Democratas deve passar por mudanças também a nível estadual.

“Serão realizadas algumas modificações após o dia 18. Nós devemos fazer uma reformulação toda e eu devo assumir um cargo um pouco diferenciado do que estou para ajudar a organizar o partido, referente as eleições de 2018 para o Governo do Estado. O Democratas pretender ter candidato próprio a Governo do Estado, em 2018. Há uma renovação. O ciclo do PSDB, no Governo do Estado já acabou. Nós já tivemos grandes governadores lá: Mário Covas, Geraldo Alckmin, Serra, Tivemos vice do Democratas, mas o ciclo do PSDB acabou. Acabou o ciclo, da gente ser vice sempre. Nós estamos buscando alguns deputados que tem uma influência forte dentro do Estado e eles acham que eu tenho, para fazer uma reformulação e aglutinar para gente vir firme. O Democratas vai surpreender em 2018.”